Biópsia: Primeiras técnicas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos!

A anatomia patológica é ciência derivada da medicina e patologia que tem por finalidade diagnosticar lesões a nível estrutural. A especialidade consiste na análise crítica e criteriosa de tecidos enviados ao laboratório. Sendo assim, por ser uma área da patologia, se estuda as estruturas desde o nível microscópico até o macroscópico. Portanto, considerada uma área de fundamental, visto que, a partir dessa ciência que se obtêm os laudos, desde as doenças até o atestado de óbito. Logo, veremos como realiza-se o exame da biópsia.

Conceito da Biópsia

Consiste no estudo macroscópico e microscópico de amostras de tecidos, como fragmentos de tecidos colhidos numa autópsia, peças cirúrgicas e biópsias. Sendo assim, em organismos vivos, são os exames anátomo-patológicos que permitem identificar, por exemplo, uma cirrose hepática. Desse modo, realizado através da biópsia do fígado, ou um câncer de mama através da biópsia da mama. Para tanto, segue-se uma metodologia muito específica.

Relembre os conceitos de macroscopia e microscopia, nesse artigo.

Primeiras etapas

Em primeiro lugar, começa por fixar, desidratar e diafanizar (tornar transparente) o tecido a analisar, incluindo-o, em seguida, em parafina (um tipo de cera). Sendo assim, a próxima etapa, corta-se várias secções ultrafinas do bloco formado com auxílio de um microtómo. Desse modo, logo após os cortes, as secções serão colocadas em lâminas e coradas com substâncias corantes. Logo, esses corantes nos permite evidenciar a estrutura dos tecidos, conjunto de células, pigmentos e microorganismos presentes nos tecidos. Portanto, última etapa, realizada a análise das lâminas pelo médico patologista, ao microscópio e avaliando-se os resultados obtidos.

Recepção e tratamento do material

O material coletado por médico, será rapidamente acondicionado em frasco de boca larga ou em outro recipiente adequado. Desse modo deve conter solução de formalinna a 10%, preferencialmente tamponado. Sendo assim, a sua função será de conservar por mais tempo a amostra biológica.

O frasco deve ser correta e imediatamente identificado com o nome do paciente.

Para tanto, deverá ser obrigatório o preenchimento da ficha de solicitação do exame ou o pedido do médico. Sendo assim, deve constar todos os dados pertinentes ao material biológico tais como a natureza e localização. Para o paciente, esse deve contribuir para a correlação anátomo-clínica e conclusão diagnóstica final. Portanto, o problema clínico, informações laboratoriais e de imagens, hipóteses diagnósticas e todas as dúvidas que o exame deve tentar responder. 

Contudo, também deverá constar claramente a identificação do médico solicitante e seu telefone e/ou ramal de contato fácil. Logo, caso haja necessidade de informações complementares ou discutir diagnósticos diferenciais, entre outras eventualidades.

O fragmento deve ser retirado de maneira a evitar-se que a pinça deixe marcas permanentes no tecido. O instrumento usado, deve estar afiado para não esmagar o fragmento, produzindo artefatos de difícil correção durante o processamento. O fragmento deve ser colocado imediatamente no fixador, nele podendo permanecer por longo tempo.

Desse modo, meu caro leitor, nos próximos artigos veremos mais sobre biópsia, te espero aqui.

Portanto, gurunauta, se esta afim de conhecer mais sobre a anatomia patológica, não deixe de acompanhar nosso blog. Pois nessa seção, você verá imagens e assuntos pouco abordados em sala de aula, que vão te auxiliar na sua vida acadêmica. Te espero aqui, mete bronca!!

Outros Artigos

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos!

contato@meuguru.com

CNPJ 42.269.770/0001-84

Nos siga nas redes!