Buracos Negros: Saiba 6 Curiosidades Surpreendentes

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos!

Os buracos negros são uma das maravilhas mais enigmáticas e fascinantes do universo. Esses corpos celestes estão rodeados de enigmas e mistérios que desafiam as leis da física atualmente conhecidas pelo homem. Neste artigo, vamos mergulhar nas profundezas do espaço explorando os mistérios dos buracos negros.

Ao contrário do que o seu nome sugere, um buraco negro não é de fato um buraco, e sim uma grande quantidade de massa comprimida em um espaço muito pequeno. Ele geralmente nasce quando estrelas grandes, com massa maior que 10 massas solares, morrem. Basicamente a morte de uma estrela acontece quando o hélio, isto é, o seu combustível, acaba.

Após sua morte, o campo gravitacional gerado pela massa da estrela vai espremer a si mesmo, até que toda a massa fique concentrada em um único ponto. Nessa situação, uma região em volta desse ponto atrairá qualquer coisa para o ponto denso, inclusive a luz. O limite dessa região se chama horizonte de eventos.

Curiosidade nº 1: Existem diferentes tipos de buracos negros

Ilustração de um buraco negro em simulação.
(Por: CanalTech)

Os buracos negros podem ser classificados em três tipos principais: buracos negros estelares, que se formam a partir do colapso de estrelas massivas; buracos negros supermassivos, encontrados no centro das galáxias; e buracos negros de massa intermediária, que têm massas entre as dos buracos negros estelares e supermassivos.

Acredita-se que a maioria das galáxias tenha um buraco negro supermassivo em seu centro

Portanto, observações astronômicas sugerem que a maioria das galáxias, incluindo a nossa própria Via Láctea, abriga um buraco negro supermassivo em seu núcleo. Esses buracos negros podem ter massas equivalentes a milhões ou até bilhões de vezes a massa do nosso Sol.

Curiosidade nº 2: Os buracos negros não são “buracos” no sentido comum da palavra

Buracos Negros
(Por: O Tempo)

Apesar do nome, os buracos negros não são buracos no sentido comum da palavra. Eles não são aberturas no espaço, mas sim regiões onde a gravidade é tão intensa que nada pode escapar de sua influência.

Curiosidade nº 3: Eles podem distorcer o espaço-tempo

Os buracos negros exibem uma gravidade de tal magnitude que é capaz de distorcer significativamente o espaço-tempo nas proximidades. Essa distorção dá origem a fenômenos notáveis, como as lentes gravitacionais, nas quais a luz sofre desvio de sua trajetória original devido à influência gravitacional de um buraco negro.

Assim, quando a luz passa perto de um buraco negro, sua trajetória sofre alteração pela curvatura do espaço-tempo em torno dele. Esse efeito cria uma espécie de “lente” gravitacional, desviando a luz de sua trajetória original e produzindo imagens distorcidas ou ampliadas de objetos distantes. As lentes gravitacionais fornecem uma ferramenta poderosa para estudar a distribuição de matéria escura, bem como para detectar e investigar objetos astrofísicos distantes.

Além das lentes gravitacionais, os buracos negros também são fontes de ondas gravitacionais, que são ondulações no próprio tecido do espaço-tempo causadas por objetos massivos em movimento acelerado. Quando um buraco negro ou outro objeto massivo sofre perturbações, como a fusão de dois buracos negros ou a explosão de uma supernova, ele emite ondas gravitacionais que se propagam pelo universo.

Curiosidade nº 4: Explorando os Mistérios dos Buracos Negros: O primeiro buraco negro foi fotografado em 2019

Foto real de um buraco negro
(Por: G1)

Em abril de 2019, a colaboração internacional Event Horizon Telescope alcançou um marco histórico ao revelar a primeira imagem direta de um buraco negro. Assim, essa notável conquista permitiu que a humanidade testemunhasse visualmente a presença de um buraco negro pela primeira vez na história. A imagem icônica capturou o buraco negro situado no centro da galáxia M87, que se encontra a uma impressionante distância de aproximadamente 55 milhões de anos-luz da Terra.

O registro da imagem do buraco negro foi através da sincronização de oito telescópios espalhados pelo mundo, criando um poderoso observatório virtual com a capacidade de capturar detalhes em escala cósmica. Portanto, essa colaboração inovadora e tecnologicamente avançada possibilitou a captura da silhueta escura do buraco negro, cercada por um anel brilhante de material superaquecido em seu horizonte de eventos.

Essa imagem histórica abriu uma nova era na exploração dos buracos negros, fornecendo uma confirmação visual convincente de sua existência e destacando a incrível precisão da teoria da relatividade de Einstein. Desde então, os cientistas têm continuado a estudar e analisar a imagem para obter uma compreensão mais profunda dos processos físicos e fenômenos envolvidos na formação e no comportamento dos buracos negros.

Curiosidade nº 5: Buracos negros podem girar

Os buracos negros podem ter rotação, o que implica que estão girando em torno de um eixo. Essa rotação exerce influência nas suas propriedades, afetando características como o tamanho do horizonte de eventos e a emissão de radiação.

A rotação de um buraco negro é um fenômeno fascinante que pode resultar em efeitos notáveis. Primeiramente, a rotação afeta o tamanho do horizonte de eventos, que é a região ao redor do buraco negro a partir da qual nada pode escapar, nem mesmo a luz. Com a rotação, o horizonte de eventos pode se tornar elipsoidal, alongando-se ao longo do eixo de rotação.

Além disso, a rotação está intimamente ligada à emissão de radiação por parte do buraco negro. De acordo com a teoria da relatividade, um buraco negro em rotação pode gerar um fenômeno conhecido como “arrasto de quadro”. Neste fenômeno, a rotação arrasta e distorce o espaço-tempo em suas proximidades.

Tal distorção resulta na emissão de radiação eletromagnética, conhecida como radiação de Hawking, que gera energia.

Curiosidade nº 6: Buracos negros podem influenciar o movimento das estrelas ao seu redor

A presença de um buraco negro em um sistema estelar pode exercer uma poderosa influência sobre o movimento das estrelas circundantes. De fato, as estrelas próximas podem sofrer interações de maneiras surpreendentes, dando origem a trajetórias elípticas e até mesmo resultando em suas ejeções do sistema.

Quando um buraco negro está presente, seu campo gravitacional extremamente intenso pode distorcer o espaço-tempo ao seu redor. Como resultado, as estrelas em sua vizinhança imediata podem experimentar um efeito gravitacional significativo, levando a órbitas peculiares em torno do buraco negro.

Essas órbitas podem assumir a forma de trajetórias elípticas, nas quais as estrelas descrevem caminhos alongados e excêntricos ao redor do buraco negro. Em alguns casos, o movimento das estrelas pode se tornar tão instável que elas são eventualmente expulsas do sistema.

Leia também: Aplicação da IA na astronomia

Conclusão

Em suma, os buracos negros continuam a desafiar nossas concepções sobre o universo e nos instigam a explorar os limites do conhecimento científico.

Portanto, à medida que pesquisadores e cientistas mergulham mais fundo nesses fascinantes objetos cósmicos, novas descobertas emocionantes estão por vir.

Outros Artigos

biologia-o-que-mais-cai-no-enem.
Atualidades

Biologia o que mais cai no ENEM?

Biologia no Enem é um tema bastante amplo e possui um peso significativo na prova e merece total atenção. Descubra como gabaritar aqui!

Derivadas é a análise de taxas de variação. Quando calculamos a derivada de uma função em um ponto específico
Engenharias

Derivadas: Pontos críticos

Derivadas é a análise de taxas de variação. Quando calculamos a derivada de uma função em um ponto específico.

Legal

® 2021-2024 Meu Guru | 42.269.770/0001-84 • Todos os direitos reservados

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos!