Consumo sustentável e consciente

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos!

Consumo sustentável, é algo que se faz necessário, mas o que e como podemos continuar consumindo para que a humanidade não ultrapasse nossos limites planetários e evite que cenários catastróficos aconteçam?

O consumo sustentável (e produção), definido de várias maneiras por diferentes organizações e formuladores de políticas. Assim, a maioria das definições refere-se ao consumo sustentável como: o uso de bens e serviços produzidos com menor impacto nos recursos naturais e menos poluentes. Ou como a compra, consumo e descarte de produtos de forma sustentável.

A essência do consumo e produção sustentáveis está em fazer mais e melhor com menos, o que também é um princípio fundamental do ODS: Consumo e Produção Responsáveis. Também há uma abordagem do “pensamento do ciclo de vida” de lidar com os recursos em todo o seu potencial e , dessa maneira, trabalhar para aliviar a pobreza está no centro do consumo sustentável.

Enfim, você pode estar se perguntando – ou pelo menos deveria – O que posso fazer? Qual é o meu papel como consumidor? Para entender, devemos primeiro dar uma olhada no consumo em geral.

O que é consumo? Quem é o consumidor?

O consumo é um termo essencial em economia, referindo-se a produtos e serviços consumidos pelas famílias. Indicadores econômicos globais, como PIB (produto interno bruto) ou despesas domésticas, utilizam o termo. Dessa maneira está interligado com a produção, já que toda produção é – inerentemente – dependente do fato de que nós, consumidores, temos uma necessidade e um desejo de consumir.

Consumo sustentável
Consumir é adquirir produtos e serviços colocados à disposição.

E quem é o Consumidor? Os inúmeros processos de consumo que ocorrem em nosso cotidiano nos tornam consumidores. Como consumidores, fazemos parte de um sistema econômico. Assim, significa que há dois lados, componentes e/ou fatores principais a serem observados: o consumidor e o próprio sistema econômico. Esses lados são interdependentes, pois interagem e afetam uns aos outros.

Nosso desejo de consumir não vem apenas da necessidade de satisfazer uma necessidade física ou fisiológica, como comida, abrigo e muito mais. Nós consumimos para criar e moldar nossas identidades. Assim, o consumo é uma grande parte de nossas vidas psicológicas e sociais. Somos, antes de tudo, consumidores. Nós, humanos, passamos a maior parte do tempo consumindo alguma coisa. Consumimos alimentos, energia, mas também informação e dados.

Alguns exemplos dos consumos menos sustentáveis são o consumo de carne, a industria téxtil e o consumo de energia.

Consumo de carne

Em média, há o consumo de 25kg de carne por pessoa por ano. Com algumas exceções de países como China e Vietnã. Dessa maneira, o consumo médio de carne por pessoa por ano na Brasil, é pelo menos 4 vezes maior do que o consumo médio em países africanos e asiáticos.

consumo sustentável
O INCA recomenda o consumo de carnes vermelhas em até 500 gramas de carne cozida por semana. 

Um estudo aponta que entre as proteínas mais consumidas no Brasil estão o ovo 19,1%, seguido pelo frango, 14,6%, carne de segunda 14,1% e carnes nobres 7%. As demais proteínas de origem animal figuram na mesa de 45,2% dos brasileiros.

Já no mundo, os 10 maiores consumidores calculados em quilo por habitante são:

  1. Argentina (26,9/kg);
  2. Estados Unidos (26,1/kg);
  3. Brasil (24,6/kg);
  4. Israel (23,3/kg);
  5. Chile (20,5/kg);
  6. Cazaquistão (19,9/kg);
  7. Austrália (19,2/kg);
  8. Canadá (17,4/kg);
  9. Suiça (14,4/kg) e
  10. Noruega (13/kg).

Os que menos consomem o produto são Índia (0,5/kg), Tailândia (1,2/kg), Nigéria (1,3/kg), Indonésia (22/kg), Etiópia (2,5/kg), Filipinas (3,2/kg), Arábia Saudita (3,9/kg), China (4,1/kg), Peru (4,2/kg) e Ucrânia (4,7/kg).

Moda e indústria têxtil

A indústria têxtil e moda, considerada uma das maiores poluidoras industriais do mundo, contribuindo com aproximadamente 10% da poluição global. Cada etapa da produção na indústria da moda demanda uso de água, energia, materiais e produtos químicos. Dessa maneira estes últimos considerados potencialmente nocivos ao meio ambiente, aos trabalhadores da produção e até mesmo aos consumidores.

“A indústria da moda é responsável pela produção desenfreada de peças de roupas e calçados que estão em consonância com o mercado global.”

Consumo de Energia

O consumo total de energia per capita aumentou dramaticamente entre as décadas de 1960 e 1970 e foi de aproximadamente 150 gigajoules (GJ) per capita até 2015. Os recursos de petróleo e gás natural compreendem a maior parte dos recursos para consumo de energia.

Entretanto, no Brasil, a Empresa de Pesquisa Energética (EPEpublica anuários estatísticos, atualmente (abril de 2023), está disponível o de 2022 (ano base 2021). Onde mostrou que um crescimento de 4,6% em relação ao consumo do ano anterior.

Há a separação de oito classes sendo que a única classe a ter queda foi a de Iluminação Pública (-9,2%), enquanto que as outras tiveram aumento como pode ser observado na imagem.

consumo sustentável
O consumo de energia elétrica por classe, conforme o levantamento da EPE, registrou aumento em sete das oito classes, na comparação com 2020.

O que é o consumo sustentável?

A Agenda 21 Global, assinada na Rio 92, traz em seu Capítulo 4 a relevância em se atentar para o consumo como causador de diferentes impactos ambientais e sociais. O Consumo Sustentável envolve a escolha de produtos que utilizaram menos recursos naturais em sua produção.

consumo sustentável
O consumo sustentável é uma expressão empregada com muita frequência em diferentes meios de comunicação.

Dessa maneira, irá garantir emprego decente aos que os produziram, e que serão facilmente reaproveitados ou reciclados. Significa comprar aquilo que é realmente necessário, estendendo a vida útil dos produtos tanto quanto possível. Consumimos de maneira sustentável quando nossas escolhas de compra são conscientes, responsáveis, com a compreensão de que terão consequências ambientais e sociais – positivas ou negativas.

E o que podemos fazer?

Mudança de comportamento é algo que leva tempo e amadurecimento do ser humano, mas é acelerada quando toda a sociedade adota novos valores. O termo “sociedade de consumo” foi cunhado para denominar a sociedade global baseada no valor do “ter”.

No entanto, o que observamos agora são os valores de sustentabilidade e justiça social fazendo parte da consciência coletiva, no mundo e também no Brasil. Este novo olhar – sobre o que deve ser buscado por cada um – promove a mudança de comportamento, o abandono de práticas nocivas de alto consumo e desperdício e adoção de práticas conscientes de consumo.

consumo sustentável, consumo consciente, consumo verde, consumo responsável
A ideia de consumo sustentável é a de promover a reflexão dos hábitos de consumo da população, despertando a consciência ecológica.

Consumo consciente, consumo verde, consumo responsável são nuances do Consumo Sustentável, cada um focando uma dimensão do consumo. O consumo consciente é o conceito mais amplo e simples de aplicar no dia a dia: basta estar atento à forma como consumimos – diminuindo o desperdício de água e energia, por exemplo – e às nossas escolhas de compra – privilegiando produtos e empresas responsáveis.

A partir do consumo consciente, a sociedade envia um recado ao setor produtivo de que quer que lhe sejam ofertados produtos e serviços que tragam impactos positivos ou reduzam significativamente os impactos negativos no acumulado do consumo de todos os cidadãos.

Pegada ecológica

Para perceber o que estamos fazendo de errado, precisamos entender o que é a pegada ecológica, de que métricas ela é composta e o que devemos fazer para melhorá-la.

Assim, em geral, a pegada ecológica é a métrica usada para entender quanta natureza temos e quanto precisamos. Com esses dados, é possível melhorar a sustentabilidade e as boas condições de vida nos países e ajudar os grupos dirigentes a otimizar seus investimentos nos projetos públicos que realizam. Mas acima de tudo a pegada ecológica ajuda cada um de nós a perceber o impacto que tem no planeta e de certa forma, chama a atenção para todas as pessoas que pensam estar no bom caminho, mas precisam de fazer mais para melhorar a ecologia do nosso planeta situação.

A média mundial da Pegada Ecológica é de 2,7 hectares globais por pessoa, enquanto a biocapacidade disponível para cada ser humano é de apenas 1,8 hectare global.

Para conseguir alcançar a sustentabilidade, devemos reduzir a pegada ecológica, para isso, precisamos mudar a forma como produzimos e consumimos bens e recursos. Por isso, controlar a quantidade de água utilizada para a produção através do sistema de irrigação é um processo vital. Este exemplo ajuda-nos a perceber que, para atingir este objetivo, é essencial utilizar, de forma eficiente e eficaz, os recursos naturais que temos disponíveis no nosso planeta, para além da forma como descartamos todos os resíduos tóxicos e poluentes.

Recursos Naturais Renováveis

Existem várias maneiras de ajudar a reduzir a pegada ecológica global e ajudar na sustentabilidade, alguns exemplos estão relacionados a como as empresas devem conservar todos os recursos disponíveis e reduzir todos os desperdícios, por exemplo, investindo na conservação de água e energia, buscando formas renováveis de energia e prosseguir a implementação de uma gestão eficiente de resíduos.

Algo importante é que as empresas alcancem e ajudem os consumidores de forma que possam fazer mais com menos, fomentando assim o consumo sustentável.

Reduzir o Desperdício de Alimentos

Nesse sentido, o desperdício alimentar é um problema geral, existem várias empresas de restauração que são obrigadas a desperdiçar todos os dias alimentos que não foram consumidos durante o dia. Esse problema está diretamente ligado aos processos das empresas em utilizar e produzir mais alimentos durante o dia do que o necessário. Cada empresa precisa entender e criar uma solução inteligente que reduza esse problema.

Vários grupos e organizações procuram ajudar as empresas, especialmente as do setor da restauração, e tentam criar parcerias. Para solucionar esse problema, foi fundado o projeto Reforma Alimentar para Sustentabilidade e Saúde, que desenvolve soluções para criar um sistema de alimentação para alcançar e sustentar uma população saudável em um planeta saudável.

Redução, Reciclagem e Reutilização

Existem os 3 R’s que são as palavras mais importantes na busca pela sustentabilidade, no caso das empresas, elas devem buscar respeitar todos eles e introduzi-los em sua cultura (leia mais sobre os 3 R’s, entretanto, alguns grupos já usam uma abordagem de 5R’s, onde adicionam-se “Recusar” e o “Repensar”, tema de post futuro).

consumo sustentável, 3R's
A política dos 3Rs: reduzir, reutilizar e reciclar.

Já no caso da Redução, como a palavra diz, estamos reduzindo, em especial, reduzindo o desperdício. Dessa maneira, é essencial fazer uma correta gestão dos resíduos para podermos proteger o ambiente que nos rodeia. As empresas devem adquirir recursos que durem e tenham vida útil longa, buscar produtos e embalagens que não criem resíduos tóxicos e entender quais produtos podem ser reprojetados para usar menos recursos naturais.

A reciclagem é um ato comum ou deveria ser comum em todas as empresas, é uma forma de evitar a emissão de CO2 de gases de efeito estufa, poluentes da água como bactérias e vírus, além de economizar energia.

Por fim, Reutilizar, neste caso, todos os produtos adquiridos pelas empresas devem ser reutilizáveis, estojos como caixas, garrafas plásticas e até mesmo canecas, canetas e lápis que são recarregáveis e utilizam guardanapos ou toalhas de pano.

Referências:

Veja Mais:

Outros Artigos

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos!

contato@meuguru.com

CNPJ 42.269.770/0001-84

Nos siga nas redes!