Deep Fakes: Como sobreviver?

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos!

Introdução

No nosso dia a dia, é bem comum observar pessoas utilizando IA (Inteligência Artificial) nas redes sociais. Pessoas frequentemente brincam com suas capacidades, como usar uma maquiagem virtual, ferramentas de envelhecimento e rejuvenescimento, dentre outras, o que pode-se chamar de Deep Fakes (D.F.). 

Ainda, as pessoas estão utilizando cada vez mais a IA para mudar sua voz, ou observar como a voz de um artista soaria em músicas de outros artistas. Com a força das redes sociais, existe uma imensa quantidade de imagens e vídeos de várias pessoas, e esses arquivos podem ser utilizados como treinamento para essas IA’s.

Então, imagine que qualquer pessoa com um computador e acesso à internet pode utilizar suas mídias das redes sociais e, basicamente, fingir ser você, inserir seu rosto em outro corpo de forma convincente e usar sua voz para dizer coisas que nunca sequer saíram da sua boca. Essa é a nova era que está sendo nomeada, frequentemente, de era da pós-verdade. Neste artigo, iremos debater mais um pouco sobre esse tema e discutir os efeitos que podem acontecer e já estão acontecendo no mundo devido às deep fakes.  

O que são deep fakes?

Deep fakes são vídeos ou áudios manipulados com o intuito de fazer as pessoas acreditarem que o autor daqueles materiais são outras pessoas. Um exemplo disso, seria um vídeo hipotético do presidente do Brasil falando algum discurso de ódio que o mesmo nunca havia mencionado. 

Estes, são criados a partir de técnicas de inteligência artificial, que são capazes de “aprender” o formato do rosto e as características da voz de uma pessoa. Para a ferramenta de IA aprender essas coisas, é preciso treiná-la, e para isso, basta alimentá-la com arquivos de fotos ou áudios do cidadão de interesse. Hoje em dia é muito fácil criar uma deep fake de qualquer pessoa que seja, uma vez que quase todo mundo mantém contas nas redes sociais com fotos e vídeos de fácil acesso.

Na verdade, os resultados que as deep fakes podem chegar existem a um tempo. Uma aplicação interessante dessa tecnologia, foi no filme Velozes e Furiosos 7, onde, durante as gravações, houve um infeliz acidente com um dos protagonistas, o que ocasionou na morte do ator Paul Walker. Entretanto, a gravação do filme continuou, onde seu irmão atuou como dublê de corpo e o rosto do ator falecido foi inserido através de CGI (do inglês, imagens geradas por computador). 

Nesse caso, não podemos classificar esse resultado como exatamente deep fake, pois não foram utilizadas ferramentas de IA. Contudo, essas ferramentas conseguem fazer o mesmo resultado, ou até melhor. E ainda, qualquer um pode fazer isso nos dias atuais. 

Para quais fins as deep fakes são utilizadas?

Fazendo deep fake de uma pessoa
(Por: Istoé)

As D.F. são utilizadas para os mais diversos fins, sejam eles éticos ou antiéticos. Abaixo, podemos ver algumas das aplicações mais frequentes.

  • Criar conteúdo de entretenimento. Utiliza-se os D.F na criação de vídeos engraçados ou paródias atualmente. Além de conteúdos inofensivos, a sua utilização se dá também nas plataformas de conteúdo adulto, onde não há consentimento sobre a violação de imagem por conta da I.A.
  • Criar conteúdo de desinformação. Espalham informações falsas e prejudicam a reputação de vítima. Recentemente, um deep fake do presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, viralizou nas redes sociais, onde o líder político supostamente estaria solicitando a rendição dos ucranianos para os russos.
  • Criar conteúdo de propaganda: Também servem para influenciar a opinião pública ou para promover uma agenda política. Por exemplo, a imagem de uma pessoa internacionalmente famosa, atribuída a vários produtos distintos simultaneamente. De certa forma, esse indivíduo não conseguirá fazer à todas as publicidades, pois, hipoteticamente falando, teria que estar pessoalmente em várias produtoras diferentes ao redor do globo. Nos próximos anos, o “aluguel” da imagem de pessoas vai ser mais comum do que imaginamos. 

Quais são os riscos de deep fakes?

Criador de deep fakes nas redes sociais
(Por: Tecnoblog)

O mau uso das D.F. pode gerar diversos tipos de riscos. Dentre eles, os principais são:

  • Prejuízo à reputação: Infelizmente, elas podem ser úteis para criar vídeos ou áudios falsos que fazem com que alguém pareça dizer ou fazer coisas que não são reais. Isso pode prejudicar a reputação da pessoa, levando a perda de emprego, relacionamentos e oportunidades.
  • Desinformação: Espalham informações falsas sobre pessoas ou eventos, o que pode ter um impacto negativo na sociedade, levando a decisões erradas e conflitos.
  • Influência na opinião pública: Podem influenciar a opinião pública sobre pessoas ou eventos. Isso poderá acontecer devido a criação de vídeos ou áudios falsos que farão com que alguém pareça dizer ou fazer coisas que não são reais.
  • Facilitar a aplicação de golpes: Infelizmente, os deep fakes podem ser úteis para criminosos, através da geração de áudios ou vídeos de pessoas inocentes pedindo dinheiro para seus familiares, ou solicitando senhas de bancos e redes sociais simulando um esquecimento da vítima.

Como se proteger ?

Abaixo, podemos conferir algumas dicas para te ajudar a ter cuidado com esses conteúdos falsos mal intencionados.

  • Seja consciente do seu ambiente digital. Tenha cuidado com o que você compartilha online, e certifique-se de que suas senhas sejam fortes. Além disso, mantenha suas redes sociais sempre no modo privado, isto é, apenas seus seguidores autorizados por você mesmo podem ter acesso às suas fotos e vídeos.
  • Esteja ciente dos sinais de deep fakes. Os deep fakes bem feitos podem ser difíceis de detectar. Contudo, há sinais que merecem atenção redobrada, como movimentos artificiais, imagens borradas ou áudio que não parece natural. Sempre desconfie, hoje em dia eles são muito frequentes e é algo que pode ferir muito uma pessoa psicologicamente.
  • Não compartilhe vídeos ou áudios que sejam suspeitos de serem deep fakes. Se você estiver preocupado com um vídeo ou áudio, denuncie-o às autoridades. Anteriormente, havia muitos debates sobre o compartilhamento de conteúdos íntimos sem o consentimento da vítima. Assim, as D.F. podem gerar os mesmos constrangimentos e danos às pessoas. Por isso, evite compartilhar conteúdos que você não tem certeza da fonte.
  • Faça sua parte para combater a desinformação. Informe-se sobre as fontes de notícias em que confia, e seja crítico com o conteúdo que você vê online. Caso você desconfie da veracidade de algum conteúdo, não hesite em denunciar para a empresa competente e às autoridades locais.

O futuro dos deep fakes

De uma coisa você pode ter certeza, o futuro das Deep Fakes é incerto. Contudo, a sua utilização se tornará boa e ao mesmo tempo ruim, já que, como toda tecnologia, os resultados dependerão da finalidade do seu utilizador.

Portanto, espera-se que a legislação evolua junto com essas ferramentas, a fim de melhorar questões de segurança e utilização destas. Portanto, talvez, esse crescimento não acompanhe a IA, mas, nos próximos anos haverão leis com o intuito de punir a utilização maliciosa dessas notícias.

Convém ressaltar que a criação de conteúdos com as D.F., será cada vez mais frequente. Como dito anteriormente, é muito mais fácil para uma pessoa “emprestar” sua imagem para uma IA ao invés de fazer o conteúdo pessoalmente. Existe uma discussão sobre esse assunto na série Black Mirror, no primeiro episódio da sexta temporada. Nesse episódio uma empresa de streaming utiliza imagem das pessoas capturadas pelos seus próprios celulares e produz conteúdos com base na vida delas, utilizando os mesmos nomes. 

Leia também: O que é inteligência artificial?

Conclusão

Em suma, os deep fakes são uma nova tecnologia que tem o potencial de revolucionar a forma como interagimos com o conteúdo digital. Eles podem ser úteis para criar vídeos ou áudios extremamente realistas que podem servir para fins de entretenimento, educação ou propaganda.

No entanto, eles também podem servir para fins maliciosos, como espalhar desinformação ou prejudicar a reputação de alguém. É importante estar ciente dos riscos dos deep fakes e saber como se proteger deles.

Assim, estão se tornando cada vez mais sofisticados e é provável que se tornem ainda mais comuns no futuro. É importante estar ciente dos riscos dos deep fakes e saber como se proteger deles.

Até a próxima!

Outros Artigos

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos!

contato@meuguru.com

CNPJ 42.269.770/0001-84

Nos siga nas redes!