Doença Arterial Coronariana em mulheres

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos!

A doença arterial coronariana (DAC) é uma das principais causas de morte em todo o mundo, afetando tanto homens quanto mulheres. No entanto, os sintomas e as complicações da DAC podem ser diferentes em mulheres do que em homens, e muitas vezes a doença é subdiagnosticada e subtratada em mulheres. Então, vamos discutir a DAC em mulheres, incluindo fatores de risco, sintomas, diagnóstico e tratamento.

Fatores de risco da doença arterial coronariana

A DAC é causada pelo acúmulo de placas de colesterol nas artérias coronárias, que são responsáveis ​​por fornecer sangue ao coração. Sendo assim, alguns dos principais fatores de risco para DAC em mulheres incluem pressão alta, colesterol alto, diabetes, obesidade, tabagismo e histórico familiar de DAC. Ao mesmo tempo, estudos também mostram que o uso de terapia hormonal na menopausa pode aumentar o risco de DAC em algumas mulheres.

Sintomas

A doença arterial coronariana (DAC) em mulheres pode apresentar sintomas diferentes em comparação aos homens, o que pode dificultar o seu diagnóstico. Nesse sentido, alguns dos sintomas mais comuns incluem:

  1. Dor no peito: a dor no peito é um sintoma clássico da DAC em ambos os sexos, mas as mulheres podem sentir uma dor mais difusa e menos intensa do que os homens. É comum que as mulheres descrevam uma sensação de aperto, pressão ou desconforto no peito que pode se espalhar para os braços, pescoço, mandíbula, costas ou abdômen.
  2. Falta de ar: a falta de ar é outro sintoma comum da DAC em mulheres. É comum sentir falta de ar após atividades físicas ou mesmo em repouso. Bem como, as mulheres também podem sentir uma sensação de cansaço ou fraqueza durante atividades que normalmente não seriam cansativas.
  3. Náuseas, vômitos e sudorese: as mulheres com DAC também podem apresentar sintomas mais atípicos, como náuseas, vômitos e sudorese excessiva.
  4. Fadiga: a fadiga é um sintoma comum em mulheres com DAC, especialmente durante atividades físicas.
  5. Tontura: sentir tonturas ou desmaios, causados pela redução do fluxo sanguíneo para o cérebro, também é um dos sintomas comuns em mulheres com DAC.

É importante lembrar que nem todas as mulheres com DAC apresentam sintomas óbvios, o que pode levar a um diagnóstico tardio ou até mesmo ausência de diagnóstico. Portanto, é importante que as mulheres conheçam seus fatores de risco e sejam avaliadas regularmente por um profissional de saúde.

Diagnóstico

O diagnóstico de DAC em mulheres começa com uma avaliação da história clínica, fatores de risco e sintomas. O médico pode solicitar exames de sangue para avaliar os níveis de colesterol e glicose, e um eletrocardiograma (ECG) para avaliar a função do coração. Em alguns casos, o médico pode solicitar um teste de estresse para avaliar a resposta do coração ao esforço físico.

Em mulheres com sintomas suspeitos de DAC, é recomendado realizar uma angiografia coronária, que é um procedimento invasivo que utiliza um cateter para injetar um contraste nas artérias coronárias e obter imagens detalhadas do coração. Da mesma forma, outros testes de imagem, como a tomografia computadorizada (TC) e a ressonância magnética (RM), também são usados para avaliar a presença e a gravidade da DAC.

Tratamento da doença arterial coronariana

O tratamento da doença arterial coronariana em mulheres inclui uma série de medidas que visam reduzir os fatores de risco e controlar os sintomas da doença. Algumas das principais estratégias de tratamento incluem:

  1. Mudanças no estilo de vida: mudanças no estilo de vida são uma das principais estratégias de tratamento para a doença arterial coronariana em mulheres. Isso inclui mudanças na alimentação, aumento da atividade física e eliminação de hábitos prejudiciais, como o tabagismo.
  2. Medicamentos: uma variedade de medicamentos estão ligados ao tratamento da doença arterial coronariana em mulheres, incluindo medicamentos para reduzir o colesterol, controlar a pressão arterial e reduzir o risco de coágulos sanguíneos.
  3. Intervenções cirúrgicas: dependendo do grau de obstrução das artérias coronárias, pode ser necessário recorrer a intervenções cirúrgicas para restaurar o fluxo sanguíneo para o coração. Entre as opções de intervenção estão a angioplastia e colocação de stents, ou mesmo cirurgia de revascularização do miocárdio.
  4. Reabilitação cardíaca: a reabilitação cardíaca é um programa de exercícios e orientação sobre mudanças no estilo de vida para pessoas que tiveram problemas cardíacos. Esse programa ajuda a melhorar a saúde do coração e a qualidade de vida.
  5. Tratamento psicológico: a doença arterial coronariana em mulheres pode afetar a saúde mental, gerando ansiedade, depressão e outros problemas emocionais. Por isso, é importante que o tratamento inclua o cuidado com a saúde mental, com o apoio de um psicólogo ou psiquiatra.

Cada caso de doença arterial coronariana em mulheres é único, e o tratamento deve ser personalizado de acordo com as necessidades e condições de cada paciente. Para o tratamento, é necessário uma equipe multidisciplinar, composta por médicos, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, psicólogos e outros profissionais da saúde.

Leia um pouco mais e veja possíveis prevenções: Biblioteca Virtual em Saúde.

Outros Artigos

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos!

contato@meuguru.com

CNPJ 42.269.770/0001-84

Nos siga nas redes!