Extinção de espécies: o que é e como acontece

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos!

extinção de espécies
Extinção de espécies

Extinção ou as extinções acontecem quando uma espécie morre devido a eventos cataclísmicos, problemas evolutivos ou interferência humana.

Primeiramente, a verdade é que os cientistas não sabem quantas espécies de plantas, animais, fungos e bactérias existem na Terra. Dessa maneira, a estimativa mais recente coloca esse número em 2 bilhões, e isso provavelmente mudará em algum momento.

De uma coisa sabemos: o rinoceronte negro ocidental, o tigre da Tasmânia e o mamute lanoso estão entre as criaturas cujas populações chegaram a zero. Assim, é possível que a extinção de espécies esteja acontecendo mil vezes mais rapidamente por causa dos humanos.

A extinção acontece quando fatores ambientais ou problemas evolutivos causam a extinção de uma espécie. O desaparecimento de espécies da Terra está em andamento e as taxas variaram ao longo do tempo. Um quarto dos mamíferos está em risco de extinção, de acordo com estimativas da Lista Vermelha da IUCN.

Até certo ponto, a extinção é natural. Mudanças nos habitats e tendências reprodutivas ruins estão entre os fatores que podem fazer com que a taxa de mortalidade de uma espécie seja maior do que a taxa de natalidade por tempo suficiente para que, eventualmente, nenhum seja deixado.

Os seres humanos também causam a extinção de outras espécies. Sendo os principais responsáveis a caça, colheita excessiva, introdução de espécies invasoras, poluição , dentre outros. Mesmo o rápido crescimento da população humana está causando a extinção ao arruinar os habitats naturais.

Extinções famosas

Entre as espécies mais famosas levadas à extinção pelos humanos está o dodô, uma ave que viveu principalmente na nação insular de Maurício e foi popularizada por sua aparição no livro de Lewis Carroll “Alice no País das Maravilhas”.

Os dodôs foram mencionados pela primeira vez por marinheiros holandeses no final do século 16 e vistos pela última vez em 1662, depois de terem sido caçados até a extinção. Os pombos-passageiros, bilhões dos quais frequentemente cobriam os céus da América do Norte quando os europeus chegaram ao continente, foram extintos quando o último morreu no Zoológico de Cincinnati em 1914.

Extinções em massa

Fósseis mostram que houve cinco períodos anteriores da história em que um número excepcionalmente alto de extinções ocorreu no que é conhecido como extinções em massa. A maioria das espécies da Terra foi extinta há cerca de 266 milhões a 252 milhões de anos na extinção do Permiano.

Essas perdas, no entanto, também abriram caminho para a evolução dos dinossauros, já que as extinções em massa criam uma chance para o surgimento de novas espécies. Os dinossauros encontraram seu fim há cerca de 65 milhões de anos em outra extinção em massa no final do período Cretáceo. Uma grande cratera na Península de Yucatán, no México, sugere que um asteróide provavelmente caiu lá. Os cientistas acreditam que as erupções vulcânicas na Índia causaram o aquecimento global que também pode ter contribuído para a extinção em massa.

Os cientistas estão debatendo se a Terra está agora no meio de uma sexta extinção em massa. Se assim for, pode ser o mais rápido de todos os tempos, com uma taxa de 1.000 a 10.000 vezes a taxa de extinção da linha de base de uma a cinco espécies por ano. Os seres humanos são os grandes responsáveis pela tendência marcante. Os cientistas acreditam que a poluição, o desmatamento e a pesca excessiva podem levar à extinção de metade das espécies terrestres e marinhas existentes no planeta até 2100.

O aumento lento das temperaturas da superfície causado por níveis elevados de gases de efeito estufa provavelmente fará com que muitas espécies se movam em direção aos pólos da Terra e subam nas montanhas para permanecer em habitats com os mesmos climas. Mas nem todas as espécies serão capazes de se adaptar com rapidez suficiente para evitar a extinção e espera-se que muitas morram.

O que podemos fazer sobre isso?

  • Usar menos combustíveis fósseis diminuindo o termostato, dirigir com menos frequência e reciclar é uma boa maneira de diminuir a taxa de extinções.
  • Comer menos carne e evitar produtos, como marfim, feitos de espécies ameaçadas também pode fazer a diferença.
  • Em casa, proteger o lixo em latas trancadas, reduzir o uso de água e evitar o uso de herbicidas e pesticidas pode proteger a vida selvagem local.

Referências:

Veja Mais:

Outros Artigos

biologia-o-que-mais-cai-no-enem.
Atualidades

Biologia o que mais cai no ENEM?

Biologia no Enem é um tema bastante amplo e possui um peso significativo na prova e merece total atenção. Descubra como gabaritar aqui!

Derivadas é a análise de taxas de variação. Quando calculamos a derivada de uma função em um ponto específico
Engenharias

Derivadas: Pontos críticos

Derivadas é a análise de taxas de variação. Quando calculamos a derivada de uma função em um ponto específico.

Legal

® 2021-2024 Meu Guru | 42.269.770/0001-84 • Todos os direitos reservados

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos!