Imunoterapia contra células de câncer 

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos!

Imunoterapia

A imunoterapia é uma abordagem inovadora no tratamento do câncer, que utiliza o sistema imunológico do paciente para combater as células cancerígenas. Neste artigo, vamos entender como a imunoterapia funciona e quais são as principais técnicas utilizadas para combater as células de câncer.

O que é imunoterapia?

A imunoterapia é uma terapia biológica que utiliza o sistema imunológico do paciente para combater o câncer. O sistema imunológico é composto por um conjunto de células, tecidos e órgãos. Todos, têm como objetivo proteger o organismo contra agentes estranhos, como bactérias, vírus e células cancerígenas. A imunoterapia atua fortalecendo o sistema imunológico do paciente, para que ele possa reconhecer e destruir as células de câncer.

Como funciona a imunoterapia contra células de câncer?

A imunoterapia contra células de câncer atua de diversas maneiras, mas todas têm o objetivo de estimular o sistema imunológico a reconhecer e destruir as células de câncer. Algumas das principais técnicas utilizadas na imunoterapia são:

Terapia de checkpoint imunológico

A terapia de checkpoint imunológico é uma técnica que utiliza medicamentos que bloqueiam a ação de proteínas que inibem a resposta imunológica do organismo. Essas proteínas são chamadas de checkpoint imunológico, e sua função é regular a resposta imunológica do organismo para evitar que ele ataque células saudáveis do próprio organismo. No entanto, as células de câncer muitas vezes exploram essas proteínas para escapar do ataque do sistema imunológico. Com a terapia de checkpoint imunológico, os medicamentos bloqueiam a ação dessas proteínas, permitindo que as células do sistema imunológico identifiquem e destruam as células cancerígenas.

Terapia de células CAR-T

A terapia de células CAR-T é uma técnica que utiliza as próprias células do sistema imunológico do paciente para combater as células de câncer. Nesta técnica, modificam-se as células T do paciente em laboratório para expressar um receptor chamado CAR (receptor de antígeno quimérico), que lhes permite identificar e atacar especificamente as células de câncer Consequentemente, as células T se infundem de volta no organismo do paciente, onde continuam a multiplicar-se e atacar as células cancerígenas.

Vacinas contra o câncer

As vacinas contra o câncer são outra técnica da imunoterapia. Elas funcionam estimulando o sistema imunológico a produzir uma resposta imune específica contra as células de câncer. Portanto, produzem-nas com células tumorais ou com proteínas específicas do tumor, administradas ao paciente para treinar o sistema imunológico a identificar e atacar as células de câncer.

Terapia com anticorpos monoclonais

A terapia com anticorpos monoclonais é uma técnica que utiliza anticorpos produzidos em laboratório para identificar e atacar as células de câncer. Os anticorpos monoclonais são moléculas projetadas para se ligar a proteínas específicas presentes na superfície das células de câncer, o que permite que o sistema imunológico as reconheça e as destrua.

Benefícios da imunoterapia contra células de câncer

A imunoterapia contra células de câncer tem diversos benefícios em relação a outras terapias, como a quimioterapia e a radioterapia. Alguns dos benefícios incluem:

  1. Menos efeitos colaterais

A imunoterapia geralmente causa menos efeitos colaterais do que a quimioterapia e a radioterapia, que muitas vezes afetam outras células saudáveis do organismo.

  1. Eficácia a longo prazo: leva respostas duradouras contra o câncer em alguns casos, já que ela fortalece o sistema imunológico. Desse modo, o paciente continua a combater as células cancerígenas mesmo depois do término do tratamento.
  1. Maior eficácia em certos tipos de câncer: é mais eficaz em certos tipos de câncer que são difíceis de tratar com outras terapias, como o melanoma e o câncer de pulmão.
  1. Potencial para tratamento personalizado: é personalizada para cada paciente, com a utilização de técnicas como a terapia de células CAR-T, que utiliza as próprias células do sistema imunológico do paciente, e as vacinas contra o câncer, que podem ser feitas com as células do próprio tumor do paciente.

Limitações

Embora a imunoterapia seja uma abordagem promissora no tratamento do câncer, ela ainda apresenta algumas limitações. Alguns dos principais desafios incluem:

  1. Seleção de pacientes: nem todos os pacientes são elegíveis para a imunoterapia, já que ela é mais eficaz em certos tipos de câncer e em pacientes com sistemas imunológicos mais fortes.
  1. Resistência ao tratamento: algumas células de câncer podem desenvolver resistência à imunoterapia, tornando-a menos eficaz em longo prazo.
  1. Efeitos colaterais graves: embora a imunoterapia cause menos efeitos colaterais do que outras terapias, ela ainda pode levar a efeitos colaterais graves em alguns pacientes, como inflamação em órgãos vitais.

Outros Artigos

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos!

contato@meuguru.com

CNPJ 42.269.770/0001-84

Nos siga nas redes!