O Passado da Talidomida

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos!

O passado da Talidomida

Quando surgiu a Talidomida?

Sendo de início, um medicamento comercializado para o tratamento de náuseas, cefaleia e insônia, principalmente de gestantes. Porém, o passado da talidomida é mais sombrio do que aparenta.

Primeiramente, era vendida sob a marca de “Contergan” e, rapidamente virou um dos medicamentos mais vendidos na Europa.

Ademais, descobriu-se outras vantagens de uso, como o combate da irritabilidade, baixa concentração, estado de pânico, desordens funcionais do estômago, doenças infecciosas febris, depressão, ansiedade e muitas outras doenças.

Qual o famoso passado da Talidomida?

O passado da Talidomida está relacionado a um problema: o nascimento de milhares de crianças com múltiplas malformações graves.

O mais grave era a focomelia, uma conhecida atrofia congênita dos braços e das pernas, tornando-os curtos e deformados, em alguns casos, havendo até malformação nos órgãos. Entre outras anormalidades estão:

  • perda de audição, alterações oculares, surdez, paralisia facial;
  • malformações na laringe, traqueia, pulmão e coração;
  • Cardiopatia congênita;
  • retardo mental.

Com efeito, o fármaco foi responsável por uma mortalidade de mais de 40% e a malformação de mais de quinze mil crianças.

Como descobriram que era a Talidomida?

Por fim, após inúmeras investigações, durante 1961, o obstetra William McBride e o pediatra Widukind Lenz levantaram uma análise do crescimento de recém-nascidos com deficiência nos membros e má formação, associando o uso do medicamento pelas mães durante a gestação. Assim, alertaram como causa a talidomida.

Em princípio, a talidomida foi recusada nos Estados Unidos pela a médica Frances Kelsey que duvidava dos testes da droga. Essa ressalva da doutora impossibilitou a chegada e abrangência o medicamento para gestantes.

Por fim, realmente não testaram o remédio.

O passado da talidomida: quais foram seus resultados?

Com o propósito de evitar essa tragédia novamente, a talidomida virou um dos medicamentos mais importantes do século XX.

O remédio foi considerado fonte de estudo para que não se repetisse o erro. Ainda, como resultado, houve mobilização da legislação de saúde, que buscou desenvolver uma aplicação geral de segurança e farmacovigilância dos medicamentos.

Ainda, desencadeou, também, debates éticos sobre o comportamento e liberdade da indústria farmacêutica, considerando principalmente os resultados e impactos nas condições de vida e nos direitos das pessoas. Todas as vítimas com deficiências ainda sofrem com as consequências e preconceitos da tragédia.

Desse modo, a medicina aprendeu os limites e as necessidades de investigação com a tragédia. Os medicamentos passam por testes antes de irem à venda, para evitar uma nova tragédia.

Existe algum benefício na talidomida?

Todavia, aos poucos, cientistas descobriram possíveis usos benéficos da medicação, totalmente diferentes dos usos iniciais. Primeiramente, o remédio pode ser usado para o tratamento da hanseníase e alguns mielomas.

As mulheres que precisam usar o medicamento devem passar por testes para verificar se estão grávidas e, se não for o caso, tomar todas as medidas de segurança para evitar uma possível gestação.

Portanto, no final, a talidomida mostrou uma capacidade de inibir a angiogênese e atuar como um antinflamatório. Destaca-se que ainda existem muitos estudos para a investigação dos benéficos desse remédio

Curioso sobre mais? Leia: O enigma da talidomida e Conheça a história da talidomida

Leia outros artigos nossos: Conhecendo os príons

Outros Artigos

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos!

contato@meuguru.com

CNPJ 42.269.770/0001-84

Nos siga nas redes!