Offshore: Como é trabalhar embarcado?

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos!

Offshore
Offshore

Trabalho embarcado (offshore), todo emprego exercido dentro de plataformas navais, navios e ambientes em alto-mar, mas que variam de acordo com o destino de tais embarcações e também em relação às características específicas das áreas de atuação. Nesse sentido, esse tipo de serviço está em alta com a indústria offshore por causa dos campos de exploração marítima e muitas pessoas estão buscando por essa alternativa de ganhar dinheiro.

O que precisa saber antes de um trabalho offshore?

Primeiramente, as características que uma pessoa precisa ter antes de começar a trabalhar embarcado é o preparo físico e mental. Dessa forma, quando alguém começa esse tipo de serviço, é comum ser atraído pelas altas remunerações, apesar do que, como tudo na vida não vem de uma maneira fácil, essa pessoa deve levar em consideração que trabalhará por uma carga horária elevada e em alto-mar.

Ao mesmo tempo, o trabalho dentro de plataformas, navios e similares funciona com o empregado colocando-se à disposição da empresa por 24 horas por dia e com o tipo de contrato em regime sobre aviso. Ou seja, esses empregos exigem bastante energia de quem deseja prosperar na área.

Principalis vantagens do trabalho offshore

  • Média salarial elevada: A média salarial do trabalho em embarcações é maior do que em outros lugares, com remunerações iniciais de R$ 2.700,00 para cargos menores. Isso sem levar em consideração o adicional de embarque, que pode elevar esses valores em até 100% a mais do que o normal.
  • Dias de folga: Assim como os salários, os dias de folga fora das embarcações são acima do normal. Assim, para se ter uma ideia, a cada duas semanas consecutivas de trabalho embarcado, o funcionário pode ganhar até 20 dias de descanso, além de também poder tirar férias de mais de dois meses.
  • Oportunidade de trabalho no exterior: É comum que funcionários de navios que viajam de um país para outro recebam propostas de trabalho fora do Brasil, o que vale também para empregados em plataformas navais. Dessa maneira, você será capaz de conhecer outros países e ampliar o seu network de maneira muito ampla.
  • Boa alimentação: Dentro das embarcações a comida é de primeira, com um cardápio balanceado, especificamente preparado por nutricionista. Lembre-se, esse é um tipo de trabalho que exige bastante do dia-a-dia dos funcionários, sendo a alimentação uma questão que deve ser levada a sério.
  • Serviços oferecidos: Além de uma boa alimentação, as embarcações também oferecem serviços como sala de jogos para você se distrair, academias, piscinas aquecidas e até quadras de futebol. Isso significa que não precisa se preocupar em como você vai gastar seu tempo quando estiver no momento de descanso.
  • Relações aprofundadas no ambiente de trabalho: O emprego em plataformas navais são capazes de tornar os laços de amizade mais forte dentro do ambiente de trabalho em função dos dias passados em alto-mar. São amizades que você levará para o resto da via, tenha a certeza disso.

O que diz a legislação trabalho offshore?

Em primeiro lugar, a Organização Internacional do Trabalho é quem determina as regras do trabalho embarcado, por meio da Convenção do Trabalho Marítimo. Dessa forma, essa legislação determina que:

  • 8 horas por dia para o trabalho em alto-mar deve ser acompanhado por um dia de descanso;
  • 14 horas para o trabalho embarcado é o máximo que alguém pode trabalhar em 24 horas;
  • 72 horas é o máximo que alguém pode trabalhar em um período de sete dias embarcado;
  • 10 horas de descanso é o mínimo que deve ser fornecido em qualquer período de 24 horas de trabalho em alto-mar.
  • 77 horas de descanso é o mínimo a ser oferecido para qualquer período de sete dias embarcado.

Essas horas de descanso, divididas no máximo em duas parcelas de tempo, sendo obrigatório que uma delas tenha no mínimo seis horas consecutivas de duração. Além disso, dois períodos desses devem está divididos por mais de 14 horas. Os dias de plantão precisam de um descanso compensatório.

Experiência em trabalhar em Plataformas da Petrobás

Um turno de trabalho em uma plataforma tem duração de 12 horas e são intercalados por outras 12 horas de descanso. Esse turno embarcado exige sim mais do trabalhador que as 08 horas que você costuma trabalhar em terra, mas você é pago por isso.

Por vezes, quando o mar está agitado o serviço é suspenso, visto que as ondas podem balançar a plataforma. Então se você tem labirintite ou problemas com enjoos, offshore não é para você. Do mesmo modo, os uniformes são itens obrigatórios, e são da cor laranja, para facilitar a localização dos tripulantes em caso de acidente ou queda no mar. Uma vez que, trabalhar em uma plataforma é extremamente perigoso e qualquer acidente pode ser fatal.

Em síntese, apesar do número de acidentes ter diminuído bastante com a melhoria da segurança, essa não deixa de ser uma preocupação constante devido ao alto risco típico do trabalho.

Mas nem tudo é complicação numa plataforma offshore, em algumas embarcações há disponível sala de jogos, salas de descanso, cafés, academia, televisão, computador com internet, jogos e muito mais. Em outros casos é possível encontrar piscina e quadra de futebol.

Para compensar o espaço limitado, as empresas prezam pelo conforto e bem-estar do funcionário que trabalha embarcado. A refeição é bem farta e com diferentes acompanhamentos, elaborado por notricionistas. Também há serviço de quarto e limpeza realizados por uma empresa de hotelaria contratada. Ocorrem churrascos , há dias de reuniões e cultos religiosos e todos os quartos possuem TV a cabo e seviço de hotelaria.

Principais Desvantagens do Offshore

  • Ficar longe da família e amigos por 14 dias, ou mais, porquê esses 14 dias é embarcado, você ainda tem os dias de deslocamento para os locais de embarque (que são aeroportos, a viajem da costa para a plataforma, se dá com helicópeteros)
  • Devido ao tipo de indústria e os segredos industriais, pode haver limitações de comunicação com familiares, por exemplo, em algumas plataformas o uso de celular é proibido e o mesmo é lacrado no embarque, em outras o tempo de ligação é de 15 min diários.
  • Algumas atividades são pesadas, como por exemplo a movimentação de cargas e exigem um bom preparo físico,
  • Convivência com pessoas com hábitos diferentes pode ser um desafio, pode ser comum ter que gerir desavenças e conflitos,
  • Mal-estar e enjoo podem ser problema para alguns, devido ao balanço da embarcação.

Exigências pelas empresas contratantes de offshore

  • Qualificação técnica ou universitária,
  • Curso de Salvatagem (CBSP), tem como objetivo ensinar técnicas de segurança, preparando os profissionais para qualquer tipo de emergência que possa ocorrer a bordo. Aprende-se desde combate a incêndio até primeiros socorros.
  • Curso de HUET – exigido por algumas empresas que utilizam helicóptero para fazer o percursos do profissional até a embarcação. No curso de HUET aprende-se técnicas de sobrevivência e como agir em caso de queda do helicóptero no mar, aprendendo a cuidar de si e de outros sobreviventes até que aconteça o resgate.

Referências

Veja Mais:

Outros Artigos

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos!

contato@meuguru.com

CNPJ 42.269.770/0001-84

Nos siga nas redes!