Potencial de ação cardíaco: Saiba tudo

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos!

A fisiologia humana, descrita como a divisão da área da saúde que estuda o funcionamento normal do corpo humano. Através dela, posso entender como as atividades funcionais realizadas pelo organismo se interagem e atuam de forma sinérgica. Nesta interação sistemática e de altíssima complexidade a qual, chamada de homeostase, é o foco de toda a fisiologia humana, equilíbrio funcional. Contudo, em todos os processos existem falhas, e nestes defeitos gerados a partir de diversas causas, acontecem as doenças ou patologia. Portanto, nesse artigo veremos sobre mais sobre o processo de potencial de ação cardíaco

Saiba mais sobre o evento que sucede o potencial de ação cardíaco.

Início do potencial de ação

A propagação da atividade e a coordenação do funcionamento eletromecânico dos ventrículos dependem do acoplamento elétrico entre as células, mediado por junções comunicantes. A atividade elétrica miocárdica é iniciada no marcapasso das células atriais, precisamente no nodo sinoatrial (NS). Logo, depois propaga-se dos átrios para os ventrículos pelo nodo atrioventricular (NAV).

Sendo assim, após uma breve pausa no NAV, a excitação se espalha pelo feixe de His e seus ramos e pelas fibras de Purkinje até o ápice do coração.

Propagação do potencial de ação

A propagação do potencial de ação pelo miocárdio é fundamental para uma eficiente contração muscular. A velocidade e a direção da propagação do impulso elétrico dependem de múltiplos fatores tais como, a orientação das fibras, distribuição das junções intercelulares, canais iônicos da membrana plasmática, como também as condutividades elétricas intra e extracelulares. Portanto, o potencial de ação nos cardiomiócitos resulta da abertura e fechamento sequencial de canais iônicos localizados na membrana plasmática dos miócitos.

Fases

O potencial de ação cardíaco em humanos possui cinco fases diferentes (de 0 a 4).

Fase 0

A despolarização das células marcapasso no NS traz o potencial de membrana para o limiar. Sendo assim, abre-se os canais para sódio ativados por voltagem, então a corrente de sódio (INa) produz um feedback positivo. Portanto, faz com que outros canais de sódio se abram permitindo o influxo de sódio do meio extracelular para o meio citosólico (fase 0).

Fase 1

A etapa subsequente, chamada de fase 1, ocorre uma repolarização incompleta proveniente da ativação de canais transientes de potássio (Ito,f e Ito,s). Desse modo, nessa fase também ocorre inativação dos canais para sódio.

Fase 2

Em seguida, inicia-se a fase de platô ou fase 2, decorrente de correntes de entrada mediadas pelos canais de cálcio do tipo-L e trocador de sódio cálcio (NCX).

Fase 3

Na fase 3 ocorre a repolarização completa do cardiomiócito, com efluxo de potássio pelos canais de potássio retificador retardado (IKr e IKs) e abertura do canal de potássio retificador de entrada (IKir ou K1).

Fase 4

O potencial de membrana retorna ao seu valor de repouso após a repolarização total, que corresponde à fase 4 do potencial de ação cardíaco, e é normalmente polarizado em valores entre -80 e -90 mV em relação ao espaço extracelular. Portanto, esse estado de repouso é mantido principalmente pelo IKir  e pela ATPase de Na+ e K+.

Portanto, gurunauta, se esta afim de conhecer mais sobre a fisiologia humana, não deixe de acompanhar nosso blog. Pois nessa seção, você verá imagens e assuntos pouco abordados em sala de aula, que vão te auxiliar na sua vida acadêmica. Te espero aqui, mete bronca!!

Outros Artigos

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos!

contato@meuguru.com

CNPJ 42.269.770/0001-84

Nos siga nas redes!