Coombs: Aprenda a fazer esse teste!

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos!

Você já ouviu falar alguma vez sobre teste de Coombs? Já ouviu falar em anticorpos e antígenos? Desse modo, já deve ter visto em suas aulas de ciências ou hematologia sobre a importância do sangue. E sabia que o mesmo pode ser atacado pelo seu próprio organismo? Portanto ao ocorrer isso denomina-se de anemia hemolítica autoimune. Sendo assim nesse artigo saberá mais como esse teste funciona e para que serve!

Princípios da resposta imunológica

O sistema imunológico, também pode ser chamado de sistema imune. Desse modo, têm como principal função organizar o sistema de defesa contra agentes maléficos que podem causar patologias ao organismo. Sendo assim, constituído de células responsáveis pela defesa do corpo humano, as células brancas ou leucócitos. Sua principal finalidade é manter a homeostase do organismo, nos livrando das doenças que podem ser instaladas. Portanto, o bom funcionamento do sistema imune dependerá da resposta coletiva das células e moléculas frente aos diversos antígenos. Logo, esse processo imunológico, daremos o nome de resposta imunológica.

Tipos de resposta imunológica

Acerca do sistema imune, o mesmo têm a competência de enfrentar diversos agentes causadores de patologias. Sendo assim, o nosso sistema de defesa é capaz de realizar essa atividade defensiva através de dois meios. Desse modo, vou relatar esses dois tipos de resposta imunológica de forma fácil de entender, pois esse é o nosso objetivo do meu guru.

Imunidade inata

A imunidade inata, considerada a nossa primeira barreira de defesa do corpo humano. Desse modo, podemos inferir, que a gente já nasce com ela, pois na vida uterina, já podemos enfrentar alguns agentes nocivos. Sendo assim, caracterizada por ser uma resposta do tipo rápida, limitada e não específica. Portanto, alguns constituintes naturais do corpo humano, nos fornece barreiras adequadas. Logo, posso mencionar quais são:

Barreira física e mecânica: Possui a capacidade de retardar ou impedir a passagem de antígenos. Os principais constituintes são a pele, trato respiratório, mucosas, pêlos e dentre outros.

Barreira fisiológica: Tem a finalidade de inibir ou eliminar o crescimento de agentes nocivos infecciosos para o organismo. Alguns constituintes dessa barreira são: temperatura corporal, ácido gástrico, dentre outros.

Barreira celular: Possui a capacidade de endocitar ou fagocitar os agentes nocivos a saúde. Sendo assim, esse processo, chamado de digestão celular. Desse modo, constituem essa importante barreira as nossas células de defesa, os leucócitos.

Barreira inflamatória: É a barreira que tem finalidade impedir agentes nocivos de se instalarem no corpo humano. No entanto, o processo inflamatório também nos trás alguns malefícios. Contudo, o risco benefício é maior. Portanto, você pode ler sobre inflamação aqui.

Imunidade adquirida

É o tipo de resposta imunológica, que como o nome já sugere, foi adquirida. Desse modo, para adquirimos esse tipo de imunidade, necessitamos antes, entrar em contato com o agente causador da doença, o antígeno. Sendo assim, esse tipo de contato, realizado através de um contato prévio com o antígeno ou então o mesmo sendo diretamente colocado em nosso organismo. Para tanto, a inoculação do antígeno em nosso corpo, realizado através da vacina. Logo, mesmo sendo um antígeno, toda vacina é segura e eficaz, para o aumento do nosso sistema de defesa. Portanto, seja qual for o modo de contato, com o antígeno, o nosso corpo conseguirá produzir elementos para combater os antígenos, os anticorpos. Essas moléculas de defesa, produzidas pelos linfócitos T e B, têm a capacidade de garantir o nossa defesa.

Tipos de imunidade no teste de Coombs.
Tipos de imunidade no teste de Coombs. Fonte

O teste de Coombs

O exame de Coombs ou prova da antiglobulina humana se refere a dois exames de sangue clínicos usados na hematologia e imunologia.

A metodologia de Coombs foi descrita pela primeira vez em 1945 pelos imunologistas de Cambridge Robin Coombs (que deu o nome ao teste), Arthur Mourant e Rob Race.

Os anticorpos ditos incompletos ‘imunes”, quando em contato com hemácias que contenham o antígeno correspondente. Sendo assim fixam-se na membrana da mesmas, bloqueando o antígeno; não têm, entretanto, a capacidade de aglutinar estas hemácias. Desse modo, o soro de Coombs (soro antiglobulina humana) é capaz de promover a aglutinação dessas hemácias, ditas sensibilizadas. Portanto através do Teste de Coombs Direto pode-se evidenciar os anticorpos contra antígenos dos eritrócitos. Isto é, se “in vivo” há anticorpos incompletos “aderidos” à membrana eritrocitária.

Teste de Coombs
Teste de Coombs. Fonte.

Coombs Direto

As imunoglobulinas, como outras proteínas, podem ser imunogênicas quando utilizadas para imunizar indivíduos de outras espécies. Sendo assim a maioria das anti-imunoglobulinas geradas desta maneira reconhecem as regiões conservadas de todos anticorpos de mesma classe. Desse modo, os anticorpos anti-imunoglobulinas foram inicialmente desenvolvidos por Robin Coombs para estudar a anemia hemolítica do recém nascido. Logo o teste para esta doença denomina-se de Teste de Coombs.

O teste de Coombs direto defini-se como método que permite a identificação da presença de anticorpos fixados sobre as hemácias. Tecnicamente, baseia-se no fato de que os anticorpos que recobrem as hemácias podem ser identificados pela adição de anticorpos antigamaglobulina humana. Quando positivo, ou seja, indicando a presença de anticorpos aderidos às hemácias, formam-se pontes entre elas, levando ao fenômeno visível de aglutinação. Desse modo, oss dois testes de Coombs são: teste de Coombs direto e teste de Coombs indireto.

O teste de Coombs direto usa-se no diagnóstico de doenças auto-imunes, investigação de reações transfusionais e doença hemolítica do recém-nascido.

Metodologia

  • Amostras de sangue total
  • Pipeta de 100 microlitros
  • Pipeta de 200 microlitros
  • 2 Tubos de ensaio
  • Soro de Coombs
  • Solução fisiológica
  • Centrifuga

Em um tubo será adicionado 100 µL de amostra de soro teste e uma gota de albumina bovina e feito homogeneização. O composto incuba-se em banho-maria a 37°C por 10 minutos. Sendo assim, após o banho Maria colocará-se a adição de 2000 µL de solução fisiológica. Leva-se a centrifuga por 2 minutos a 2500 rpm. Desse modo, após centrifugação retira-se o sobrenadante e adicionado 2 gotas do soro de Coombs (Anti IgG) e feito homogeneização. Portanto, após homogeneização da amostra leva-se a centrifuga a 2500 rpm por 2 minutos. Logo, após centrifugação fara-se leitura da amostra.

Teste positivo do Coombs direto
Teste positivo do Coombs direto. Fonte

Coombs Indireto

Os soros de Coombs utilizados nas provas são anticorpos anti-anticorpos humanos, produzidos pela injeção de globulinas humanas em animas (coelhos e cabras) que forma anticorpos contra as frações “Fc” (cristalizaveis) das globulinas humanas. Como estes anticorpos podem reagir com qualquer glubulina humana, é necessário, na execuçãoda prova, lavar as hemacias antes de se acrescentar o soro de Coombs, afim de remover todo e qualquer vestigios de soro ou plasma, deixando as reconertas apenas com os anticorpos especificos que estão sendo pesquisados.

Quando um soro que contenha anticorpos incompletos for incubado, em um ótimo de temperatura, com hemácias que contenham o antígeno correspondente, os anticorpos fixam-se à superfície destas hemácias e bloqueiam o antígeno. As hemácias assim bloqueadas (sensibilizadas) serão reveladas pelo soro de Coombs (soro antiglobulina humana). Através do teste de Coombs Indireto, pesquisa-se a presença de anticorpos incompletos ou imunes presentes no soro.

Pode-se determinar o títulos do anticorpo, fazendo-se diluições progressivas do soro (1:2, 1:4, 1:8, 1:16 etc) e repetindo a prova. O título da prova corresponde a maior diluição de soro onde se verificou ainda aglutinação. O soro de uma gestante Rh-, considera-se que o título de 1:64 já é significativo para sensibilização pelo fator Rh. A sensibilidade da prova de Coombs indireta pode ser aumentada por procedimentos que modificam a primeira etapa da reação, ou seja, da fixação dos anticorpos durante a incubação. Portanto, os mais empregados são: adição de albumina ao meio, uso de meio de baixa força iônica (LISS) e utilização de hemacias tratadas por enzimas proteoliticas.

Utilização

O teste de Coombs indireto é usado em exames pré-natais de mulheres e em exames de sangue antes de transfusões sanguíneas. Portanto, ele detecta anticorpos contra hemácias que estão presentes livres no plasma sanguíneo do paciente.

Metodologia

  • Amostras de suspensão de hemácias
  • Amostra de soro
  • Albumina Bovina
  • Soro de Coombs
  • Solução fisiológica
  • Pipeta de 500 µL
  • Pipeta de 100 µL
  • 1 Tubo de ensaio
  • Centrifuga

Preparar uma suspensão salina (5%) das hemácias a serem testadas, colocar 2 gotas desta suspensão em 1 tubo de 12 x 75 mm, adicionar solução.

fisiológica e centrifugar a 3.000 r.p.m. por um minuto, desprezar (com cuidado) o sobrenadante deixando o “ botão” de hemácias no fundo do tubo, repetir a operação mais duas vezes.

Na última operação, com auxílio de papel de filtro, procurar desprezar toda a solução salina. Quando se tratar de sangue umbilical, lavar as hemácias no mínimo oito vezes,adicionar duas gotas de soro de Coombs, centrifugar à baixa rotação (1.000 r.p.m) por 15 segundos, leitura: agitar levemente o tubo e observar se há aglutinação dos eritrócitos.

Teste positivo para coombs indireto
Teste positivo para coombs indireto. Fonte.

Outros Artigos

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos!

contato@meuguru.com

CNPJ 42.269.770/0001-84

Nos siga nas redes!