Matemática Financeira: conceitos iniciais

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos!

Noções gerais e introdutórias sobre as principais variáveis da disciplina de Matemática Financeira.

Matemática Financeira

Neste post, eu trago um pequeno resumo sobre alguns conceitos introdutórios relativos à matéria de Matemática Financeira, que certamente irá ajudar o estudo de vocês! 😉

Bem, indo direto ao ponto, a matemática financeira trabalha basicamente com a variação do valor do dinheiro no tempo. Simples assim!

Afinal, ainda que nós não tenhamos uma noção técnica, sabemos que um determinado montante hoje não possuirá o mesmo valor daqui a 10 anos, por exemplo, seja pela inflação, deflação, juros, riscos envolvidos etc.

Nesse sentido, um empréstimo contratado hoje será pago em duras prestações por um valor total bem maior do que a dívida originalmente contraída. Da mesma forma, um certo capital aplicado hoje em determinado investimento irá se transformar em um valor superior no futuro.

Ou ainda, de forma mais simplificada, 2 reais hoje não compram mais aquele antigo lanche completo da cantina da escola ou da faculdade (salgado + refrigerante), não é mesmo?! ☹

A Matemática Financeira nos auxilia justamente a entender e calcular os elementos que compõem esse processo em questão, a saber: tempo, taxa de juros, capital e montante.

Por isso, é essencial que nós compreendamos, desde já, o significado e as principais denominações de cada uma dessas variáveis:

# TEMPO (n):

O tempo ou prazo de uma operação na matemática financeira é simplesmente a duração do empréstimo/investimento em questão, ou seja, período durante o qual o capital (C) sofrerá a incidência da taxa de juros (i) culminando na geração de um montante final (M) a pagar ou a receber.

# JUROS (J):

Juros é o termo usado para designar o valor do rendimento ou remuneração do capital (C) acordado entre o credor e o tomador em uma operação financeira durante certo período (n). Por sua vez, a taxa de juros (i), também comumente denominada de custo de capital, representa o percentual (%) que atuará periodicamente sobre o capital (C) para a geração dos juros (J), variando sua forma de incidência de acordo com o regime de capitalização.

# CAPITAL (C):

Trata-se do valor de um ativo representado por moeda e/ou direitos passíveis de uma expressão monetária, no início de uma operação financeira. Alerto que, nas questões de Matemática Financeira, é bastante comum que esta variável seja denominada de principal, valor atual, valor inicial, valor à vista, valor presente, valor aplicado, valor investido, entre outros sinônimos, ok?

# MONTANTE (M):

O montante é a soma do capital (C) e do juros (J) que foi acordado na operação financeira e que é devido ao final da mesma. Nas questões de Matemática Financeira, nós também podemos encontrar as seguintes nomenclaturas para esta variável: valor futuro, valor final, valor nominal, valor de resgate, entre outros sinônimos. Fica a dica!

Então, agora que nós sabemos a definição de cada um desses conceitos fundamentais da disciplina, fica mais fácil entendermos a sentença a seguir:

O conceito básico de juros, em matemática financeira, é a remuneração paga ou recebida pela utilização de dinheiro numa determinada unidade de tempo. Os juros tanto podem indicar o pagamento por um empréstimo contraído quanto o recebimento por uma aplicação financeira, mas representam sempre o custo de capital, recebido ou pago, considerado como o aluguel pago pelo uso do dinheiro de terceiros” (CESGRANRIO, 2015).

Em síntese, a regra geral é que o MONTANTE é igual ao CAPITAL acrescido dos JUROS acumulados em determinado período de TEMPO. Assim sendo, já temos aqui uma primeira fórmula que sempre iremos utilizar nos exercícios de Matemática Financeira, independente do regime de capitalização aplicado:

MONTANTE = CAPITAL + JUROS

Por fim, eu preciso ressaltar que tais variáveis podem ser calculadas dentro de um regime de juros simples ou de juros compostos. Isso produzirá montantes distintos, em razão da forma diferente como se dá a capitalização em cada um desses regimes.

Mas não se preocupe! Isso é um assunto que irei abordar em um novo post específico sobre regimes de capitalização! 😉

Para quem se interessar, eu recomendo esse vídeo bastante didático do Professor Daniel Santana: https://www.youtube.com/watch?v=6xaj2E__p2c

Então, é isso! Chega por hoje, pessoal!

Para maiores esclarecimentos e aprofundamento na disciplina de Matemática Financeira, continuem me acompanhando aqui no blog da Meuguru!

Até o próximo post!

Prof. Rodrigo Xavier

Outros Artigos

Saiba-mais-sobre-Bioquímica
Bioquímica

Saiba mais sobre Bioquímica

Saiba mais sobre a bioquímica e descubra como o estudo dos processos químicos abrangem um enorme campo de investigação.

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos!

contato@meuguru.com

CNPJ 42.269.770/0001-84

Nos siga nas redes!