Gestão de resíduo: Reduzir, Reutilizar, Reciclar

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos!

Gestão de resíduo

Principalmente profissionais da área criaram a hierarquia de resíduos sólidos para orientar o público na gestão de resíduo, incluindo o reaproveitamento e a principal consideração na gestão de resíduos, está a redução da quantidade de materiais gerados. Contudo, reduzir o desperdício é a coisa mais importante que podemos fazer. Ao reduzir o desperdício, evitamos o uso desnecessário de recursos como materiais, energia e água. Isso significa que há menos desperdício para gerenciar.

A princípio, em todos os aspectos da vida humana, materiais indesejados são gerados e estes são descartados porque os consideramos resíduos. Ao preparar uma refeição, por exemplo, haverá cascas de vegetais e caroços de frutas, pode haver pele e gordura, utilizando ingredientes enlatados ou engarrafados, haverá garrafas e latas vazias. Resíduos que são produzidos em residências, empresas, indústrias, sistema de saúde e órgãos públicos devem ser processados.

A hierarquia dos resíduos e os “3 Rs”

Hierarquia dos resíduos: reaproveitamento.
Hierarquia dos resíduos

A princípio, foram publicadas muitas versões da hierarquia , entretanto, todas passam a mesma mensagem: a reduzir, reutilizar, reciclar, recuperar e descartar. Principalmente a última opção, o descarte, é onde se encontra muitos problemas.

Redução de resíduos

No topo da hierarquia está a redução de desperdício. Assim, esta é a melhor opção de gestão de resíduos porque é a maneira mais eficaz de limitar os efeitos na saúde e os impactos ambientais de um resíduo é não criar resíduos em primeiro lugar.

Fazer qualquer novo produto requer materiais e energia. As matérias-primas são extraídas da Terra, processadas, e o produto é fabricado, embalado e transportado para onde será vendido. Cada um desses estágios produz resíduos sólidos, bem como resíduos líquidos e poluentes atmosféricos. Devemos encontrar maneiras de fabricar um determinado item produzindo menos resíduos no processo, essa é uma das maneiras mais eficazes de reduzir a poluição, economizar recursos naturais, proteger o meio ambiente e economizar dinheiro.

A indústria tem um papel importante a desempenhar na redução de resíduos. Ao adotar processos de fabricação mais eficientes, maiores quantidades de produtos poderiam ser feitas sem aumentar o uso de matérias-primas. A indústria também pode trabalhar para incorporar menos material em seus produtos – por exemplo, um item pode ser embalado usando menos papelão do que antes.

A redução de resíduos também é importante a nível doméstico como:

  • Compre produtos que usem menos embalagens. Comprar a granel, por exemplo, pode reduzir a embalagem.
  • Use de itens reutilizáveis em vez de descartáveis. Por exemplo, use recipientes recarregáveis sempre que possível; fraldas laváveis em vez de fraldas descartáveis; lenços de algodão em vez de lenços de papel; baterias recarregáveis e canetas de tinta recarregáveis.
  • Use suas próprias sacolas de compras, de preferência feitas de pano ou outro material reciclado, em vez de sacolas plásticas.

Reutilização de resíduos

A definição de “reutilização” é dada como “o uso de um produto residual sem transformação adicional e sem alterar sua forma ou natureza original”. Esta é a segunda opção na hierarquia de resíduos. Reutilizar implica em produzir menos resíduos e ainda gera outros benefícios, ao pegar produtos úteis descartados por quem não os quer mais e repassá-los a quem os quer.

Benefícios da redução e reaproveitamento de na gestão de resíduo

Os resíduos estão se tornando um problema maior nas áreas urbanas a cada ano. As famílias estão produzindo mais resíduos, então os locais de descarte estão lotados e os novos locais estão mais distantes das áreas residenciais. Dessa forma deve-se coletar e transportar os resíduos um local de descarte, isso tem um custo mais alto associado. Uma forma de minimizar esse problema é a redução da quantidade de resíduos descartados. Algumas outras vantagens da redução e reutilização de resíduos

  • Evitar o desperdício de recursos naturais/ matérias-primas e a produção de resíduos que poluem o ambiente.
  • Preserva o capital energético associado à produção de novos produtos.
  • A substituição de produtos de uso único por produtos reutilizáveis reduz a taxa de produção.
  • Apoia a criação e manutenção de ofícios e empregos locais que invistam no reaproveitamento de matéria usada.
  • Diminui os custos financeiros umas vez que evita-se comprar material novo.
  • Diminui a necessidade de desperdiçar – promoção da redução.
  • Materiais antigos e artesanais têm tendência a valorizar-se em termos econômicos, ao longo do tempo.
  • Reutilizar é uma atividade bastante divertida, que pode ser realizada individualmente ou com amigos e família, podendo também ser uma forma de ocupação dos tempos livres.

Benefícios ambientais

Reutilizar algo usa pouca ou nenhuma água, energia ou outros recursos e é improvável que cause poluição. Problemas ambientais são causados se o item for descartado e a reutilização minimiza esses. Por outro lado, a fabricação de um produto a partir de matérias-primas (e, em menor grau, a reciclagem) consome recursos, causa poluição e gera resíduos.

Gestão de resíduo: Reciclagem de Resíduos

Reciclar resíduos significa que o material é reprocessado antes de ser usado para fazer novos produtos. Nesse sentido, as atividades de reprocessamento podem ter um impacto na saúde das pessoas e no meio ambiente, mas esses impactos são geralmente menores do que os de fazer o produto a partir de novas matérias-primas. Ou seja, reciclar significa tratar os materiais como recursos valiosos e não como resíduos. Entretanto precisa exisitir mercado para o produto final, caso contrário o processo não será economicamente sustentável.

As opções de reciclagem dependem do tipo de resíduo. Resíduos de metais e vidro também podem ser reciclados, derretendo-os em novas matérias-primas. Chapas de metal batidas e transformadas em novos produtos. Garrafas de plástico trituradas e usadas para fazer corda de plástico ou revestimento de plástico para fios elétricos.

Para alguns resíduos, a reciclagem envolve processos técnicos complexos e requer maquinaria especializada, mas outros podem ser reciclados de forma mais simples e em pequena escala. Todos os tipos de resíduos orgânicos podem ser reciclados por meio da compostagem, que pode ser realizada em casa ou em maior escala.

Gestão de resíduo: Separação de resíduos

Primeiramente, é difícil reciclar materiais uma vez que diferentes resíduos foram misturados, então a primeira etapa do processo de reciclagem é separar os materiais em diferentes categorias. Isso é chamado de segregação ou separação de resíduos na fonte e deve ser feito pelo proprietário quando os itens de lixo terminarem e forem descartados. Desta forma, os resíduos são separados colocando as diferentes categorias de resíduos em diferentes sacos ou recipientes e assim perminte a gestão de resíduo.

O grau de separação necessário dependerá das oportunidades de reciclagem disponíveis, mas é importante separar os materiais “secos” dos “molhados”. O método mais simples de segregar os respiduos é manter os resíduos alimentares separados dos materiais restantes, assim os materiais orgânicos, atravês da compostagem, produzem abudo e biogás, por exemplo.

A forma mais eficiente de reciclar resíduos é separá-los na origem, porquê, caso contrário, acabaram dispostos nos aterros sem nenhuma separação. Em muitos países em desenvolvimento, incluindo o Brasil, na maioria das cidades, a realização da coleta de resíduos para reciclagem é feita pelo setor informal, como catadores e moradores de ruas. Esse trabalho é feito de forma insegura, poluente, e por uma renda muito baixa.

É possível estabelecer um esquema mais formal de coleta de materiais recicláveis, onde são usados para segregar os resíduos recicláveis e não recicláveis coletores distintos. Embora a separação tenha a vantagem de promover a reciclagem, ela também tem as desvantagens de custos de coleta mais altos e necessidade de equipamentos especiais e trabalhadores adicionais para coletar cada tipo de material. Portanto, na maioria das áreas urbanas, a coleta seletiva é realizada pelo setor informal o que precisa mudar para que haja uma melhor gestão de resíduo.

Compostagem, uma possível solução.

A compostagem é o processo onde os resíduos orgânicos biodegradáveis (alimentos e resíduos de jardim) são convertidos em composto num processo biológico natural. A compostagem pode ser feita por famílias individuais e grupos comunitários ou em escala comercial.

Em maior escala, os resíduos de uma vila ou cidade inteira podem ser compostados se houver terra, mão-de-obra e equipamentos suficientes disponíveis. Os benefícios da compostagem não são apenas a redução de resíduos, mas também a produção de composto, que é um valioso melhorador do solo.

Os solos tratados com composto resistem melhor às secas e são mais férteis porque os nutrientes das plantas são devolvidos ao solo, o que reduz a necessidade de fertilizantes manufaturados.

Processo de compostagem:

  • Separação de materiais compostáveis: É importante começar com uma entrada não contaminada no processo. Quase todos os resíduos orgânicos podem ser compostados, porém, é aconselhável excluir carne para não atrai roedores e outros animais carniceiros.
  • Moagem ou trituração: Para acelerar o processo de compostagem, pode ser necessário triturar os resíduos antes de colocá-los na pilha de compostagem. A trituração é normalmente necessária se uma proporção significativa dos resíduos tiver partículas maiores que cerca de 50 mm. Em escala doméstica, isso pode ser alcançado simplesmente cortando os resíduos em pedaços menores.
  • Mistura ou dosagem de materiais: A compostagem funciona melhor com a mistura certa de resíduos para que o teor de umidade e as proporções dos elementos químicos carbono e nitrogênio sejam adequados.
  • Compostagem: é normalmente realizada em pilha. Para processos de compostagem em maior escala, as pilhas têm a forma de longas fileiras de resíduos, normalmente com uma seção transversal triangular. A pilha ideal tem 1,5–2 m de largura e cerca de 1,5 m de altura. O comprimento da pilha é determinado pelo espaço e pela quantidade de resíduos disponíveis.
  • Na escala doméstica a pilha será bem menor, formando uma pilha arredondada. A pilha pode ser construída à medida que os resíduos ficam disponíveis.

A compostagem é um processo aeróbico, então a pilha precisa ser revirada regularmente para introduzir ar. Assim, isso significa desmontá-lo, misturar os resíduos para introduzir ar e depois reconstruir a pilha. A primeira reviravolta da pilha deve ser feita após duas a três semanas e depois a cada três semanas ou mais. Por fim o processo é concluído quando a pilha não esquenta mais após a mistura e a reconstrução. O produto final deve ser marrom e quebradiço e parecer um bom solo. Se ainda contiver itens identificáveis, o processo não está completo.

E a reciclágem como pode ajudar na gestão de resíduo?

A reciclagem é uma atividade que, além de entregar muitos benefícios ao meio ambiente, também aquece a economia. Isso porque, para que um produto seja reciclado, é preciso realizar três etapas principais: recuperação, revalorização e transformação.

Cada uma dessas fases demanda pessoas, o que gera inúmeros empregos. Entenda como esses processos funcionam.

Recuperação

Embalagens e outros resíduos descartados em grande escala todos os dias, e precisam de um destino correto. Para tanto, é essencial separar os produtos recicláveis dos rejeitos orgânicos e sanitários. Dessa forma, o que pode ser reciclado não será contaminado, o que facilita todo o processo e ainda gera mais economia.

Nessa primeira etapa, existem pessoas que realizam a coleta e a separação dos materiais que podem ser reciclados, e os destinam para os locais em que ocorre o processo. Trata-se dos catadores de materiais recicláveis, indivíduos que podem atuar em cooperativas ou de maneira autônoma e contribuem para a cadeia da reciclagem no Brasil.

No entanto, o trabalho é bastante árduo, visto que é preciso percorrer as ruas em busca de produtos recicláveis nas lixeiras. Outros, atuam na triagem dentro das empresas que realizam a ciclagem, classificando, processando e comercializando os resíduos.

Apesar de não receberem reconhecimento social efetivo, os trabalhadores que atuam separando os materiais recicláveis prestam um importante serviço para a sociedade. Para ajudá-los, a população pode realizar corretamente a coleta seletiva. Afinal, cada tipo de produto tem um processo específico de reciclagem.

Se vários materiais sólidos são misturados, seu reaproveitamento se torna mais caro ou, até mesmo, inviável, visto que há dificuldade de separá-los. Após essa triagem, os produtos recicláveis serão prensados e enfardados, a fim de ocupar um espaço menor durante o transporte.

Revalorização

Após o tranporte dos fardos, acontecerá um processo para cada tipo de material. Essa é a etapa de revalorização, em que garrafas de plástico são moídas, por exemplo, e voltam a ter o formato de grânulos, como a matéria-prima original que forma o plástico.

Ou seja, a revalorização é feita de muitas formas, a depender do produto e da finalidade que se deseja. De qualquer modo, todos esses processos são industriais. Assim, para torná-los viáveis, é necessário empregar mão de obra para manusear as máquinas e os equipamentos.

Transformação

Com as matérias-primas prontas, será possível fabricar novos produtos, fechando o ciclo da reciclagem. Nessa etapa, também será necessário o trabalho de mais profissionais.

Conclusão

Apesar de muitos locais contarem com serviços de coleta seletiva, existem cidades em que não há esse suporte. No entanto, catadores de itens recicláveis tentam suprir essa demanda, tornando-se peças fundamentais para aumentar a porcentagem dos resíduos que são reciclados no Brasil.

Infelizmente, apenas essas iniciativas não são suficientes para dar um destino correto aos resíduos recicláveis. Na verdade, a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) prevê a não-geração de resíduos. No entanto, quando inevitáveis, é previsto que haja a disposição final adequada.

Para isso, a PNRS estabeleceu a responsabilidade pelo ciclo de vida dos produtos deve ser compartilhada. De acordo com dados da PNRS, cerca de 30% de todo o lixo colhido no Brasil têm potencial de reciclagem, mas apenas 3% são reaproveitados e transformados novamente em produtos.

Outro exemplo é o plástico, um dos principais componentes do lixo: das 11 milhões de toneladas são produzidas por ano, apenas 145 mil (cerca de 1%) são recicladas. Índice que torna o Brasil o 4° maior produtor de lixo plástico e o que menos recicla em todo o mundo.

Essas pesquisas revelam que há um grande desperdício em vários setores. Além disso, há o ponto de vista econômico e social, uma vez que a reciclagem de materiais pode ser uma fonte de renda para as famílias brasileiras, e gera valor e economia para as empresas.

É preciso ter em mente que muitos materiais podem ser reciclados. Alguns são mais difíceis, do ponto de vista econômico, mas para esses casos, há alternativas, como o coprocessamento, que já existe no Brasil.

Referências:

Veja mais:

Outros Artigos

Reprodução-das-Plantas
Biológicas

Reprodução das Plantas

Você sabe como funciona o processo de reprodução das plantas? Qual a sua importância e o porquê de acontecer? Clique aqui e saiba mais.

Legal

® 2021-2024 Meu Guru | 42.269.770/0001-84 • Todos os direitos reservados

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos!